30 Anos de Bujinkan Brasil

Soke Takamatsu Toshitsugu

Toshitsugu Takamatsu nasceu na cidade de Akashi, província de Hyogo, em 1 de março de 1887, filho de Takamatsu Gishin. Seu nome de batismo era Hisatsugu Takamatsu, que ele mudou, posteriormente para Toshitsugu, escrito com o mesmo kanji, mas pronunciado diferente. Seu pai (também conhecido como Yasaburo), era proprietário de uma fábrica de fósforos na cidade de Kobe. Sua mãe chamava-se Fushi, e foi uma das nove esposas que seu pai teve.

O jovem Takamatsu passou a maior parte de sua infância com seus avós, que ajudaram na sua criação. Seu avô era Toda Shinryuken Masamitsu, que tinha uma clínica quiroprática em Kobe e um Dojo de Budoh, onde ele era conhecido como Soke (Grão-Mestre) da Shinden Fudo Ryu.

Sua família era Samurai, apesar de seus ancestrais também terem sido ninjass. Esse fato era naturalmente um grande segredo familiar, que veio a público após a morte de Toshitsugu Takamatsu.

Ele foi o último membro da família Toda, que herdou a tradição ninja. O jovem Takamatsu, que também era chamado de Jutaro, era um rapaz muito raquítico e tímido. Seu pai queria que ele fosse para o exército, quando ele tivesse idade suficiente, então achou conveniente que ele praticasse o Budoh (designação genérica das artes marciais japonesas), para fortalecer seu corpo e sua mente.

Assim, aos 9 anos, Toshitsugu estava tomando suas primeiras lições no dojo de seu avô, onde ele começou treinando as técnicas da Shinden Fudo Ryu. Ele treinava todas as noites, após a escola. Toda e seus alunos apenas arremessavam o fraco Toshitsugu pelo dojo, pois pensava-se que ele não resistiria a um ano de treino, devido à sua pequena compleição física. Mesmo assim, todos os dias ele ia ao dojo, mostrando assim seu caráter persistente.

Após um ano, foi-lhe ensinada a primeira técnica. Naqueles tempos era costume que os estudantes mais velhos ensinassem aos iniciantes. Mas Toda chamou para si a responsabilidade de treinar Toshitsugu.

Com 13 anos ele obteve a graduação de Menkyo Kaiden da Shinden Fudo Ryu de seu avô. Após a Shinden Fudo Ryu, Toda ensinou a ele também Koto Ryu, Gyokko Ryu, Gyokushin Ryu, Kumogakure Ryu e Togakure Ryu.

Mas Toshitsugu não estava interessado em ninjutsu, naquela época. Naquele mesmo período, Toshitsugu conheceu Mizuta Yoshitaru Tadafusa, que o ensinou Takagi Yoshin Ryu. Ele costumava treinar regularmente com Tadafusa e recebeu a graduação de Menkyo Kaiden deste, quando tinha 17 anos.

Naqueles tempos, os mestres costumavam graduar como Menkyo Kaiden mesmo aqueles estudantes que ainda não estavam “prontos”, o que os forçava a treinar ainda mais duro. Esse costume era chamado de Sakizuke.

Também naquela época, o pai de Toshitsugu empregou um velho guarda-costas chamado Ishitani Matsutaro Takekage, que era conhecido em todo o Japão devido à sua grande habilidade como artista marcial.

Quando Toshitsugu completou vinte anos, ele largou o trabalho na fábrica do pai e foi para a China, onde ele queria testar suas habilidades. Para chegar lá, atravessou a Coréia, onde conheceu o mestre Kim Kei-mei-a, que lhe ministrou aulas de artes marciais. Mais tarde ele tornou-se mestre de 18 artes marciais coreanas e chinesas.

Após alguns anos na China, teve de retornar ao Japão, por ter adoecido gravemente. Em seu torrão natal, foi curado por um yamabushi, um sacerdote da montanha.

Depois de restabelecer-se, voltou à China, onde demonstrou ser seus conhecimentos bastante úteis, pois teve de usar suas habilidades marciais em diversas oportunidades. Após algumas dezenas de combates, em que se saiu vencedor, recebeu o apelido de Moku no Torah, que significa Tigre da Mongólia. Ele enfrentou, aproximadamente, 19 lutas, das quais apenas 7 foram em competições.

Combates mortais era uma consequência de sua fama, que incomodava outros artistas marciais. Para que pudesse sobreviver, ele ensinava artes marciais por toda a China. Chegou a ter cerca de 800 alunos, entre chineses, japoneses, franceses e americanos. Ensinava a, mais ou menos, 80 alunos por dia. Assim, conseguiu realmente ganhar bastante dinheiro para tempos difíceis como aqueles.

Após a invasão da China pelo Japão, na Manchúria foi criado pelos japoneses um estado chamado Manchukuo, onde Takamatsu foi nomeado presidente da Nippon Minkoku Seinen Botoku Kai (Organização Japonesa de Artes Marciais). Tudo isso aconteceu antes que ele completasse 30 anos de idade.

Depois de ter passado 10 anos na China, Takamatsu retornou ao Japão, em 1919, onde tornou-se monge do monastério Tendai, nas montanhas Hiei, perto de Kyoto. Mais tarde ele passou a ser um dos líderes do monastério. Assim, ele arrependia-se pelos “pecados” de sua juventude.

Foi casado com Tane Takamatsu, que nasceu em 1896 na região de Hirakata, e cujo sobrenome de solteira era Uno. Como eles não tiveram filhos, adotaram duas garotas.

Takamatsu também ministrou aulas para muitos estudantes no Japão, apesar de ser conhecido formalmente como mestre de ju jutsu e bō jutsu. De todas as escolas que herdou, era conhecido apenas como mestre da Kukishinden Ryu.

Seu primeiro Dojo foi nomeado Sukisha Dojo (lugar para pessoas que gostam de treinar artes marciais). Koba Koshiro, Sato Kimbei, Hanaoka Nangaku, Ueno Takashi, Takeuchi Kikakusai, Kimura Masaharu, Fukumoto, Akimoto Fumio, dentre outros, foram alguns de seus alunos ilustres.

A última pessoa a quem treinou foi o Dr. Masaaki Hatsumi, que também veio a tornar-se seu único estudante, pelo resto de sua vida. Hatsumi começou a treinar com Takamatsu na década de 50, e acabou herdando as tradições marciais deste, que ensinou-lhe técnicas jamais ensinadas a nenhum outro aluno.

Apesar de Takamatsu não treinar mais depois de seus 80 anos, ele continuava observando de perto o desenvolvimento de Hatsumi. Um ano antes de falecer, Takamatsu disse a Hatsumi que ele o havia ensinado tudo que sabia e que, assim, havia retribuído a benevolência de Toda Sensei, Ishitani Sensei e Mizuta Sensei. Hatsumi tinha agora o título de Soke (Grão-Mestre), mas continuava a visitar e a treinar com Takamatsu.

Toshitsugu Takamatsu morreu em 2 de abril de 1972, com a idade de 85 anos, e foi sepultado no cemitério de Kumedra, perto da cidade de Nara, que foi o último local onde viveu. Ele foi um grande homem e exemplo de verdadeiro artista marcial, sendo considerado o “Último Guerreiro Ninja”, que esteve envolvido em combates reais. Os praticantes da Bujinkan são orgulhosos em poderem participar de uma tradição que proveio deste grande homem.