Taikai Brazil

Taikai Brazil (I)

Escrito por Hayato Kodama em 1 de maio de 2014

Hoje (1/05/2014) – 1° Taikai Brazil, foi a apresentação oficial do nosso novo Denshō, no local que (seguramente) é o local mais seguro do mundo (Espaço Kazu), tivemos mais um café filosófico com Shihan Fernando Cardoso, onde, com corações puros e mentes abertas recebemos preciosos ensinamentos sobre o Budoh e suas muitas “facetas”, entre a liberdade e o “aprisionamento”, “Ura e Omote”, em todas as situações do nosso cotidiano.

Sensei Fernando nos ensinou a usar a arte dentro da vida e a vida dentro da arte, dentro de todas as situações, tanto das boas como das ruins.

Comentou sobre aprendermos a fazer as nossas oportunidades e usar os momentos oportunos em tudo, e sobre tudo a capacidade de adaptação que devemos ter e cultivar, assim como os animais na natureza onde suas capacidades e extintos determinam suas sobrevivências ou suas aniquilações, fazendo esse paralelo vimos e vivemos.

É incrível como nossa arte se molda e se adapta as pessoas, suas personalidades e a todas as profissões, de fato, é a arte do dia a dia.

“Budoh wa budoh desu”, “Budoh é Budoh” são as sábias palavras de Shihan Fernando, onde ele explica toda a essência do Budoh, nessa frase tão simples, mas ao mesmo tempo tão complexa, onde precisamos de uma mente e um coração adaptável e moldável.

“Um samurai nunca poderia ser um ninja, mas um ninja sempre poderia ser um samurai”.

Nesta clássica frase de Sensei, podemos sentir um pouco de toda a essência da adaptabilidade que devemos ter em nossas mentes e corações, que em harmonia com o Sanmitsu (coração, palavra e pensamento) sempre devemos proceder!

Quantas vezes nos questione sobre os caminhos e as situações que devemos tomar diante dos problemas, devemos nos lembrar apenas que as ações já são pergunta e resposta a tudo.
E que em/para tudo, nunca existe um fim, só um recomeço.

Hayato Kodama – 1° Kyu
Discípulo de Shihan Fernando Cardoso